Bullying: A Escola preparada para lidar com o problema

Socorro, agora tudo é bullying!18/04/2011

Um dos temas mais discuti­dos atualmente por pais, educadores e psicólogos, o bullying é um fenô­meno presente no mundo de crianças, jovens e adolescentes, tendo como um de seus cenários o dia-a-dia das escolas. Por definição, bullying com­preende todas as atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por um ou mais indivíduos contra ou­tro(s), causando humilhação, dor, an­gústia e medo, sendo executadas dentro de uma relação desigual de poder.

Sendo este estilo de violência e vitimização uma preocupação nas escolas salesianas, e pensando nesta problemática a partir do modelo educativo inspirado por São João Bos­co, surge o seguinte questionamento: o Sistema Preventivo de Dom Bosco, desenvolvido no século XVIII como uma maneira de educar a juventude, é capaz de oferecer elementos que contribuem para o combate ao bullying?

Uma proposta que funciona

A partir de uma leitura atual da Pedagogia Salesiana é possível dizer que os elementos que a compõem são capazes de contribuir para o combate ao bullying, presente principalmente no ambiente escolar.

A acolhida se caracteriza como um destes elementos, pois, quando se cria um ambiente receptivo e aberto às diferenças, sem qualquer tipo de discriminação ou rotulação, se promove um clima de respeito e amizade, onde todos são aceitos e valorizados no grupo.

A formação do indivíduo, pautada na visão cristã da pessoa e da vida, promove o reconhecimento do outro como imagem e semelhança de Deus, digno de ser amado: desperta-se assim para a fraternidade e os valores humanos de solidariedade, justiça e paz.

Outro importante elemento para combater este tipo de violência é a preventividade salesiana que acontece por meio da presença •do educador que convive, ensina e orienta diariamente os educandos na sala de aula, nos corredores e no pátio, participando do cotidiano escolar do aluno, não se limitando a ensinar somente os conteúdos curriculares, mas também interagindo de maneira harmônica, afetiva e solidária.

Sendo presença no cotidiano juvenil, o educador contribui para impedir qualquer motivação para o bullying, despertando a confiança do aluno, fazendo-o viver a experiência de ser amado, oportunizando que este se afirme a partir de suas habili­dades e talentos.

(Leonardo Soares - Setor Disciplinar do CSI)

Para saber mais sobre Bullying, recomendamos a leitura desta cartilha, lançada em 2010, pelo Conselho Nacional de Justiça.